Nenhum comentário

Veja como está o Mercado Imobiliário

Veja como está o Mercado Imobiliário

por

Unicesumar Educação a Distância

O mercado imobiliário envolve todas as transações de compra, venda, aluguel ou permuta de bens imóveis. Além de casas e apartamentos, estamos falando também de salas comerciais, galpões, terrenos e até edifícios inteiros.

Como todo mundo precisa de um local para morar e trabalhar, trata-se de um dos pilares da sociedade e da economia.

As tendências para o mercado imobiliário

Para atrair mais gente e conquistar resultados ainda melhores, as construtoras, incorporadoras e imobiliárias têm apostado em diversas propostas residenciais e serviços. Com a retomada de crescimento, essas tendências vão se fortalecer.

Para já se preparar para as mudanças e evoluções do segmento, veja o que promete se destacar no mercado imobiliário.

Imóveis compactos

Com a multiplicação de moradores nas cidades, os espaços se tornam mais raros e, é claro, mais caros. Como o orçamento das famílias não acompanha o aumento do preço do metro quadrado, há uma novidade em alta: os imóveis compactos.

Eles têm, em média, 45 m² ou menos, mas não deixam de ser confortáveis. Na versão studio ou com máximo aproveitamento do espaço, garantem ofertas em conta para a compra ou locação.

Vale ficar de olho!

Serviços pay per use

Outra tendência que já tem feito sucesso no mercado imobiliário é o conjunto de serviços pay per use ou “pague por uso”. Há diversas possibilidades, como serviços de limpeza, cuidados com pets e serviços de manutenção.

A ideia é que todos paguem somente por aquilo que usar, ao mesmo tempo em que o custo fica mais em conta. Tem tudo a ver com a economia compartilhada e, se você pretende atuar no mercado, é preciso ficar ligado nessa proposta.

Condomínios completos

Os condomínios estão, mais uma vez, com tudo.

As pessoas buscam segurança e conveniência, e essa é uma alternativa bastante adequada para as casas e prédios. Para potencializar esses benefícios, têm sido erguidos alguns condomínios cada vez mais completos.

A ideia é reunir os principais serviços e atividades para que os moradores tenham que sair o mínimo possível do lugar onde estão. Além das tradicionais áreas de lazer, do salão de jogos e da academia, já podemos ver condomínios com padarias, mercadinhos internos e lojas.

A criação de “microcidades” nas áreas condominiais promete ganhar relevância de maneira constante.

Ambientes compartilhados

Assim como vemos os serviços compartilhados pay per use, provavelmente outros espaços também ganharão esses contornos.

Quer um exemplo? O coworking!

Nessa modalidade, várias empresas, setores ou profissionais autônomos trabalham em um mesmo local e dividem sua estrutura.

Com a redução dos espaços no futuro, será especialmente comum ver áreas desse tipo no mercado imobiliário. Há, inclusive, a ideia do coliving, em que mais de uma família divide um imóvel maior em busca de mais qualidade de vida.

Uso da tecnologia

Que a tecnologia faz parte das nossas vidas e trabalhos, não é nenhuma novidade. A diferença é que o mercado imobiliário vai absorvê-la cada vez mais, desde a venda até o uso das casas.

Já há empreendimentos na planta que não têm uma unidade modelo mobiliada. Em vez disso, os óculos de realidade virtual permitem que os futuros moradores se sintam em casa.

Além disso, há sistemas de assinatura eletrônica e, com a digitalização dos documentos em todo o país, isso só vai crescer.

Nos imóveis, a tecnologia também aparece em tudo. Há o sistema de segurança e vigilância, o controle automático de iluminação e ventilação e até as fechaduras eletrônicas.

Demais, não é?

Novas modalidades de aquisição

Também vale a pena ficar de olho nas mudanças quanto aos modelos de aquisição. A compra passará a ser feita com mais incentivos ao financiamento, por exemplo, a fim de aquecer de vez o setor.

Ainda será possível ver a consolidação da compra compartilhada, em que as pessoas se tornam donas de frações de imóveis e com custos menores.

E, é claro, não podemos nos esquecer dos investimentos no setor, que se tornarão especialmente relevantes e rentáveis.